Palestras conscientizam alunos sobre depressão e suicídio

Desde 2014, acontece o Setembro Amarelo no Brasil – campanha de conscientização sobre a prevenção do suicídio. O objetivo é gerar consciência do alcance da depressão e da importância de procurar ajuda.  Para apoiar essa causa, o Colégio Anglo Leonardo da Vinci realizou três palestras para famílias e alunos em formato on-line.

A primeiro foi “Autoestima e Cyberbullying (redes sociais)”. A orientadora Claire Cardella  falou sobre a era dos “haters”, que disseminam ódio. Segundo ela, a falta de maturidade emocional tende a gerar agressões muito fortes no ambiente virtual. A rede oferece agilidade e alcance para difamar qualquer pessoa. Com a ilusão de que não será descoberto, o agressor se torna mais ousado e impiedoso.

“Por trás de brincadeiras aparentemente inocentes, pode haver um comportamento social perverso. Quando os envolvidos são jovens e crianças, o problema aumenta. As agressões podem trazer consequências irreversíveis para seu desenvolvimento e, em casos extremos, levar ao suicídio. Por isso, orientamos, informamos e acolhemos alunos e famílias nesse encontro”, explicou.

Em tempos difíceis, é ainda mais necessário reconhecer bem as emoções para que desenvolver a consciência e o controle sobre elas. Pensando nisso, aconteceu também a palestra “Como identificar emoções negativas e como superá-las”.

Claire, que é psicóloga com especialização em Gestalt-terapia, explicou o que são os sentimentos de medo, raiva e felicidade, por exemplo. Abordou os sintomas e as características da ansiedade e da depressão. “A tristeza faz parte da condição humana, porém, em excesso, causa angústia e pode favorecer a depressão”, disse.

Como modificar o olhar e ajustar o comportamento diante de diversas situações que e afetam? “Depressão não é sinônimo de fraqueza. Tenha empatia e respeito aos sentimentos humanos, a começar pelos seus”, acrescenta.

Para fechar a programação de Setembro Amarelo, o Colégio Anglo Leonardo da Vinci convidou o Doutor Rodolfo Milani. Ele concluiu o terceiro encontro com os “Desafios do isolamento: o novo normal e como lidar com a decisão do retorno às aulas”.

“Algumas vezes sentimos angústia e agonia pelos tempos atuais que vivemos, mas, ao mesmo tempo, esperança e ansiedade diante dos avanços da medicina e da ciência. Com informação, podemos tomar decisões assertivas neste momento”, ressaltou o médico.

#FicaDica Centro de Valorização da Vida 

É um serviço voluntário que teve início em 1962. Tem um milhão de contatos ao ano. São 2 mil voluntários e 76 postos de atendimento.

Contato pelo telefone 141 ou 188 skype.