Redação ENEM 2019 - Comentários exclusivos dos Professores do Anglo

1.

A proposta de redação do Enem 2019 coloca em discussão o cenário social e cultural brasileiro. O primeiro texto motivador apresenta ao candidato a origem do cinema. Criado para ser um instrumento científico de reprodução do movimento humano, transformou-se em uma máquina de divertimento amplamente difundida há mais de um século. O texto II apresenta a definição de Edgar Morin sobre a interferência dos filmes no universo pessoal do espectador, que vê, na tela, um registro de sua existência. O infográfico do texto III revela o percentual de brasileiros que assistem a filmes no cinema e na televisão. A partir de uma abordagem histórica, o texto IV mostra a mudança da geografia do cinema no Brasil, além de apresentar a discussão sobre o acesso da população a este universo.

Dessa maneira, o texto do candidato deveria abordar a necessidade de ampliação da democratização do acesso ao cinema no Brasil, uma vez que, conforme o texto IV da coletânea, o número de salas é insuficiente e é concentrado nas áreas de alta renda das grandes cidades. Pensa-se, então, em democratizar os espaços, para que passem a contemplar todo o território nacional e todas as classes sociais. Nesse sentido, alguns caminhos de argumentação seriam:

- problematizar a questão da democratização, estabelecendo uma relação entre a produção, a criação e a distribuição de filmes. Pensando nisso, o texto poderia abordar a atual situação da ANCINE (Agência Nacional do Cinema) e, ainda, a democratização do acesso a diferentes temáticas, como a LGBTQI.
- refletir sobre o texto I, que demonstra a origem e a, posterior, importância do cinema. O candidato poderia problematizar que essa tecnologia, no início do século XX, ganhou força e foi difundida. No entanto, no atual cenário de um Brasil desigual, a sétima arte tornou-se um produto de consumo, restrito a shoppings e a centros urbanos. Conforme dado da coletânea, apenas 17% da população frequenta o cinema.
- discutir as ideias centrais do Texto II, que busca demonstrar a função do cinema no âmbito pessoal do espectador. Com base nisso, o candidato poderia relacionar a abordagem de Edgar Morin com a do filósofo da Escola de Frankfurt, Walter Benjamin. Em seu texto "A obra de arte na era da sua reprodutibilidade técnica", o filósofo vincula a fragmentação das imagens - edição - ao distanciamento crítico do espectador em relação ao que vê. Outra possibilidade a ser abordada seria a ideia de "capital simbólico", desenvolvida por Pierre Bordieu, em que o cinema representaria um campo de disputa pertencente ao "capital cultural".
- utilizar uma perspectiva histórica, tendo como base o conteúdo e os dados concretos do texto IV. Dessa forma, o candidato ressaltaria que o Brasil já teve "um parque exibidor vigoroso e descentralizado", com diversas salas de cinema, cenário bem diferente do atual.

A partir das problematizações apresentadas, o candidato deve elaborar sua Proposta de Intervenção social. Busca-se, aqui, apresentar algumas possíveis sugestões de solução:  

- ampliar o número de salas de cinema em todo o território nacional, em especial nos locais indicados pelo texto IV, por meio de políticas públicas envolvendo a Secretaria Especial da Cultura, pertencente ao Ministério da Cidadania, além de estados e municípios, a fim de descentralizar o acesso à população de alta renda nas grandes cidades.
- reduzir o valor do ingresso, em dias e em sessões especiais, por um acordo entre distribuidoras e salas de cinema, para democratizar o acesso a partir do número de salas de cinema já existentes.
- promover a ampliação de espaços de exibição e debates sobre filmes, com temáticas e conteúdos diversificados, por meio de ações entre ONGs, instituições culturais e de ensino, para que haja um maior engajamento e formação de público.
- ampliar recursos destinados ao cinema, gerenciados pela ANCINE, diante de uma estrutura em que a cultura volte a ter status de Ministério.

Por Juliana Monteiro Carrascoza, Maria Carolina Costa Coutinho e Suzana Albuquerque - Professoras do Anglo Vestibulares - Unidades Alphaville - Butantã - Granja Viana - Osasco - Vila São Francisco

2.

A proposta de redação do ENEM não fugiu ao padrão tradicional da prova. Era esperado que um tema relativo à cultura viesse a protagonizar a redação. A coletânea, composta por quatro textos, dava ensejo a uma reflexão sobre os desafios do acesso ao cinema em território nacional. Em seus dois primeiros textos havia uma reflexão mais genérica sobre o surgimento e a criação da sétima arte.


O terceiro texto, por sua vez, mostrava a carência de salas de cinema nas periferias e no interior do país. A partir deste excerto, o candidato poderia refletir sobre as relações entre o espaço e a cultura. Interpretar o direito à cidade como uma garantia complexa e de intersecção de outros direitos. Olhar para "espaços opacos", sem fixos e fluxo adequados, é fundamental nas políticas públicas culturais.


O infográfico da coletânea mostrava que o interesse do brasileiro por filmes é crescente a despeito da falta de salas de cinema.
Assim, na proposta de intervenção, o candidato deveria propor políticas públicas de criação de equipamentos urbanos de cultura ou novos marcos regulatórios para a Lei Rouanet (contrapartida de sessões populares, por exemplo).


Por fim, toda e qualquer discussão sobre a importância do cinema como elemento de formação crítica deveria ser, necessariamente, acompanhada do debate à respeito do acesso.

Por Prof. Pedro Muller - Anglo Vestibulares - Unidades Alphaville - Butantã - Granja Viana - Osasco - Vila São Francisco