Alunos refletem sobre “Qual é o sentido da vida?”

9° anos fazem entrevistas como possibilidade de registro e transformação

“Qual é o sentido da vida para você?”.  Refletir sobre isso pode mudar o seu jeito de ver o mundo. Durante o ano todo, os alunos dos 9° anos discutiram essa questão. Concluíram esse projeto sensível e profundo de Filosofia entrevistando algumas pessoas em locais públicos para que elas pensassem nisso também.

As turmas foram inspiradas pelo Museu da Pessoa. Sim, existe um! Um lugar no qual as histórias de vida são patrimônio da humanidade. O espaço faz um trabalho para conectar pessoas por meio de suas experiências e sentimentos. Segundo os curadores, “a escuta é a possibilidade de transformação, inovação e colaboração e conhecimento”.

E foi a escuta que envolveu os estudantes e os levou a mergulhar no tema. Eles compreenderam seu valor, ampliaram seu conhecimento sobre o sentido da vida e, depois de muito estudo e conversas, formularam suas respostas. “O sentido da vida é você se dedicar aos seus sonhos e é ajudar as pessoas. É se preocupar com o próximo. Se você consegue fazer o outro feliz, você vai ser feliz”, disse um aluno.

Em uma das entrevistas, esta fala complementa: “é crescer, aprender, ter filhos, ensinar algo bom e deixar algo para as próximas gerações”. Para outro participante, “é ter um proposito e ajudar quem está ao seu redor”. Ser feliz, aproveitar a vida intensamente, produzir, ter conhecimento, entender que a vida continua além de você, cuidar da família, trabalhar foram possibilidades apresentadas.

As entrevistas replicam um ideia original do Projeto 7 mil milhões de Outros, direção de Yann Arthus-Bertrand, Sibylle d’Orgeval e Baptiste Rouget-Luchaire. Os autores colheram depoimentos de pessoas de praticamente todos os países, sociedades, comunidades e tribos, em torno de perguntas básicas, como a sua “identidade”, sua visão de mundo, o sentido da família, da felicidade, do perdão, do amor etc.

Os alunos concluíram que a cultura e a história de cada um influencia em sua definição do que é o sentido da vida. “O que mais chamou nossa atenção é a falta de resposta única para a questão sobre qual o sentido da vida. A vida não tem um sentido, mas a gente dá sentido todos os dias: para as pessoas que encontramos, para o que sentimos e aprendemos. Isso é incrível e gerou aprendizados para toda a vida”, ressalta a professora Roberta.


Veja aqui alguns depoimentos na íntegra!

Veja aqui mais depoimentos na íntegra!

Texto: Thais Gonzales