Alunos do Ensino Médio produzem contos de ficção científica

Aulas de Redação promovem profundas reflexões sobre temas atuais

Depois de um trabalho minucioso de orientação, escrita e reescrita, os alunos da 1ª série do Ensino Médio produziram 20 contos de ficção científica e se reuniram em um Sarau para compartilhar com os colegas suas impecáveis produções. Aprender a Estudar de formar crítica, empolgante e criativa traz aprendizados para toda a vida.

“Essa produção permitiu que eu me expressasse de uma forma incrível. Foi como uma dose de endorfina liberada manualmente! Pude expor o meu mundo interior para os meus colegas. Enxerguei, por outro lado, o universo que cada um criou e novas formas de ver a realidade do outro. Gratidão define”, relatou a aluna Anna Júlia Duarte Holanda, da unidade Granja Viana.

Muito além de uma atividade pontual, esse projeto foi processual. Ao longo do terceiro bimestre, a professora Angelita trabalhou com a turma os elementos da narrativa, o gênero e temas da atualidade. Promoveu uma série de discussões intensas sobre meio ambiente e o embate do homem frente aos avanços tecnológicos e a falta de recursos naturais no mundo contemporâneo.

“Analisamos muitos contos de ficção cientifica em sala de aula, em que o homem se sente um pouco máquina. Já os robôs passam a ser humanizados. A partir desse conhecimento, trabalhamos a construção do personagem, a teoria do conto e começamos as produções individuais”, contou a professora.

Segundo ela, os estudantes foram convivendo com esses personagens e se debruçaram realmente no processo de desenvolvimento do texto. Uma dinâmica de entrevista estimulou ainda mais seu olhar para a criação. Enquanto um perguntava, o outro respondia exatamente como sua persona faria.

A ultima etapa foi a editoração dos contos. “A criatividade deles impressiona. Eles poderiam costurar a capa do material, colocá-lo dentro de uma caixa, envelhecer papel, explorar a fotografia para apresentá-lo. O resultado foram trabalhos lindos e diversificados. Estou orgulhosa”, acrescentou Angelita.

A aluna Juliana Zaia, também da Granja Viana, disse que essa experiência superou suas expectativas. “Foi uma longa viagem até escrever uma história completa, mas que valeu muito a pena. Não só por ter visto como é desafiador e gratificante construir um enredo, com espaço, personagens etc, mas também pelo fato de que pude crescer e ampliar minha visão de mundo. Refleti sobre o futuro distópico e utópico. Estou apreciando esse momento final”, finaliza.